Hoteleiros: 7 Dicas para Conectar-se com Repórteres no Twitter

Profissionais hoteleiros geralmente pensam no Twitter como uma ferramenta para interagir com os hóspedes, lidar com pedidos ou problemas comunicados por eles e fornecer informações práticas sobre o destino ou promover amenidades e ofertas. Mas além de ajudar os hotéis a melhorar as experiências dos hóspedes e impulsionar a presença nas redes sociais e a reputação online, o Twitter também é um grande aliado para conectar-se com jornalistas.

Não é tão arriscado como você pensa, especialmente na era das avaliações online, que discutem publicamente os problemas da sua propriedade.
Se você é novo no Twitter, você precisa entender que o mundo do Twitter é um mundo primordialmente positivo, o que torna relativamente fácil de estabelecer relacionamentos capazes de aumentar as chances de que a sua mensagem seja transmitida e, possivelmente, destacada de alguma maneira na mídia. Mas não existe nenhuma garantia!

Você se surpreenderia pelo número de gerentes gerais, diretores de vendas e marketing, executivos sênior de marca, diretores de e-commerce, diretores de receitas e outras pessoas do setor hoteleiro que eu conheci através do Twitter ao longo do meu mandato cobrindo hotéis no USA TODAY entre 2009 e começos de 2013.

Se você nunca pensou no Twitter dessa maneira, é um bom momento para começar agora. Por quê? Novos estudos e estatísticas surgem praticamente todos os meses sobre o ritmo em que os jornalistas estão convergindo para o Twitter. Alguns contam com a rede social para ter acesso às últimas notícias e outros a usam para buscar temas e discussões relevantes. Há também quem use para transmitir informações. Naturalmente, alguns usam de maneira relutante e escassa só porque seus superiores lhes disseram para criar uma conta – mas isso é outra história!

Um exemplo recente: A Oriella PR Network lançou recentemente o seu sexto estudo anual de jornalismo digital, que se baseou em uma pesquisa realizada com cerca de 500 jornalistas em 14 países como Brasil, Alemanha, Índia, França, China, Reino Unido e Estados Unidos. Alguns destaques:

  • 59% dos jornalistas em todo o mundo afirmam usar o Twitter contra apenas 47% no ano passado,
  • 51% dos jornalistas em todo o mundo afirmam que usam Twitter, Facebook, Weibo e outros canais para recolher novas histórias frente a 25% quando a fonte é desconhecida.

Com essas 7 dicas você poderá iniciar-se ou até mesmo dominar a arte de comunicar-se com repórteres influentes que usam o Twitter regularmente como um ferramenta de trabalho.

    1. Identifique influenciadores: Você provavelmente tem uma boa ideia de quem você gostaria de conhecer. Para ampliar essa lista, você pode pesquisar certas palavras-chave no Twitter como HootSuite, TweetDeck ou outra ferramenta do Twitter para que você possa ver quem está mencionando estas palavras-chave e hashtags como #hotéis. Num artigo recente sobre esse assunto, Mark Ragan, o CEO da Ragan Communications, recomendou usar diretórios do Twitter como Twellow, wefollow e Muck Rack para encontrar usuários que você talvez não conheça.

 

    1. Presuma que a maioria dos jornalistas que está no Twitter quer conectar-se: Se um jornalista (a) está no Twitter e (b) utiliza a rede social regularmente, é alta a probabilidade de que esteja disposto interagir com pessoas do meio para obter novas informações e expandir a lista de fontes. Uma exceção: se um repórter tem um pequeno número de seguidores – eu prefiro não generalizar, mas eu diria menos de 100 seguidores – isso poderia ser um sinal de que esse repórter só criou uma conta porque o empregador lhe recomendou. Revise os tweets passados para ter uma ideia das interações anteriores do jornalista.

 

    1. Primeiros Passos – Retweet: Como todo bom profissional de Relações Públicas sabe, você não pode construir um relacionamento baseado simplesmente em pedidos. Portanto, a maneira mais sábia de se introduzir no Twitter é retweetando publicações de jornalistas. Eles perceberão que tem alguém seguindo e lendo as publicações deles. O conselho de Ragan é: “Não peça nada”.

 

    1. Responda aos pedidos dos jornalistas: Se um jornalista compartilha histórias e informações no Twitter, acompanhe! Não responda com uma pergunta como “Ainda há tempo para responder?”. Quando você tiver escrito essas palavras, o jornalista já estará ocupado com outro tema e considerará a sua pergunta no mínimo atrasada e, na pior das hipóteses, irritante. É óbvio que ambos cenários oferecem riscos, já que poucos repórteres acompanham todos os comentários recebidos enquanto trabalham; eles provavelmente responderão apenas aos melhores comentários. Mas se você se encontra no campo de “maiores riscos = maiores recompensas”, essa estratégia é para você.

 

    1. Ajude um jornalista a construir a rede de seguidores no Twitter: Nunca espere nada de volta, mas ajudar a construir um a rede de seguidores dos jornalistas provavelmente ajudará a consolidar o seu relacionamento com eles. Além dos retweets, você pode adicioná-los em tweets como #TravelTuesday e #FollowFriday.

 

    1. Lembre-se que os jornalistas são humanos: Você está no setor de hospitalidade por um motivo, não é? Não se esqueça de reconhecer os jornalistas como pessoas, mesmo que ofereçam escassas informações pessoais. Se eles contam que estão indo para uma determinada praia e você conhece a melhor sorveteria da região, recomende-a. Eles participarão como voluntários de uma corrida? Deseje boa sorte! Você não precisar fazer mais do que isso – e não faça isso com frequência quando você ainda está conhecendo eles, embora isso dependa da personalidade das pessoas envolvidas. Além disso, nem é preciso dizer que você deve compartilhar informações apropriadas aos negócios e à cultura empresarial, mantendo distância dos discursos políticos inflamados, etc.

 

  1. Leia os tweets dos jornalistas: Como profissional de RP veterana, Vivian Deuschl tem dito há anos que ler o trabalho dos jornalistas deve ser uma prioridade e isso não é diferente no mundo digital. Você logo descobrirá que está familiarizado com os gostos do jornalista, com as suas fontes preferidas de notícias e os seus temas de interesse. Quando falava sobre isso com uma amiga repórter na National Public Radio, ela mencionou que não suporta que se dirijam a ela com algo que não tem nada a ver com os seus gostos e interesses. E não podemos culpá-la. Você deve mostrar respeito pelo tempo do repórter.

“A melhor maneira de cultivar o relacionamento com os jornalistas, seja tradicionalmente ou online, é ler o que eles publicam no Twitter e oferecer algumas sugestões de outros recursos que eles possam utilizar,” afirma Deuschl, que envidou esforços no setor de relações públicas da cadeia de hotéis de luxo Ritz-Carlton enquanto ampliava a cadeia hoteleira de alguns hotéis para cerca de 60 propriedades. “Ganhe credibilidade com os jornalistas demonstrando que você não está apenas tentando promover o seu cliente/empresa, mas que deseja ajudá-los a obter outras fontes de informações.”

Deuschl faz uma boa observação sobre tornar-se um recurso. Um bom repórter, por exemplo, esperará que você compartilhe nomes – inclusive aqueles dos concorrentes – ao discutir possíveis ideias de matérias. Os jornalistas geralmente valorizam a informação e estarão dispostos a escutá-lo.

Minha última dica é que você tenha em mente que alguns jornalistas se expõem mais que outros nas redes sociais. Qualquer pessoa que siga os meus tweets, por exemplo, sabe a idade dos meus filhos, sabe que eu sou uma amante da boa comida, do café forte, da ginástica, de determinados estilos musicais e que amo viajar e conhecer novas pessoas. Até mesmo uma fração dessas informações oferecia dezenas de maneiras de começar uma conversação comigo. Você nunca saberá o que tem em comum com um jornalista se você não lê o que ele publica nas mídias digitais.

Engajando-se em uma comunicação multidirecional e frequente com os jornalistas chave, profissionais hoteleiros experientes poderão comunicar-se de maneira mais eficaz e com melhores resultados, além de ampliar e aperfeiçoar suas respectivas redes de contatos nas plataformas de mídias sociais.

Follow Reviewpro on Facebook
Follow Barbara DeLollis on Twitter